INSCRIÇÕES 

​01 a 31 de outubro 2017.

Regulamento PPIFOR

 

SELEÇÃO

Prova: 27 de novembro.

Entrevista:  11 de dezembro.

 

NÚMERO DE VAGAS

17 (vagas)

 

PRÉ-PROJETO

O Pré-projeto de pesquisa deve conter de 08 a 10 páginas, com a possibilidade de se adequar às eventuais exigências especificadas pela Banca e/ou pelo(a) Orientador(a).

 

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PRÉ-PROJETO

1 – Resumo

2 - Introdução

3 – Justificativa

4 – Objetivos: geral e específicos

5 – Revisão da literatura

6 – Metodologia e procedimentos (Materiais e métodos)

7– Referência

 

SUGESTÕES DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PRÉ PROJETO

 

Referências bibliográficas e bibliografia: referenciar conforme as normas da ABNT as obras consultadas para a elaboração do projeto e a bibliografia básica para o desenvolvimento da pesquisa.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. Ed. São Paulo: Editora Atlas, 2007.

SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 22. Ed. São Paulo: Cortez, 2005.

TOLEDO, Cézar de Alencar Arnaut e GONZAGA, Maria Teresa Claro (organizadores). Metodologia e Técnicas de Pesquisa nas Áreas de Ciências Humanas. Maringá: Eduem, 2011.

 

 

 

 

SUGESTÕES DE LEITURA PARA A PROVA ESCRITA

 

CONTRERAS, José. Autonomia de professores. Tradução de Sandra Trabucco Valenzuela. São Paulo: Cortez, 2002. 296 p.

DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir. Tradução de José Carlos Eufrázio. São Paulo: Cortez, 1997.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A Formação e Profissionalização do Educador: Novos Desafios. In: GENTILI, P; SILVA, T. T. da. (Orgs.). Escola S.A. – quem ganha e quem perde no mercado educacional do neoliberalismo. Brasília: CNTE, 1996, p. 75-105.

GIROUX, Henry A. “Professores como intelectuais transformadores” IN: Os Professores Como Intelectuais. Porto Alegre: Artmed Editora, 1997, pp.157-164.

PÉREZ GÓMEZ, A. As funções sociais da escola: da reprodução à reconstrução crítica do conhecimento e da experiência. In: GIMENO SACRISTÁN, J.; PÉREZ GÓMEZ, A. (Orgs.). Compreender e transformar o ensino. 4.ed. Porto Alegre: ArtMed, 2000. pp.13-25.

SANTOMÉ, J. T. As culturas negadas e silenciadas no currículo. In: SILVA, Tomaz Tadeu (Org.). Alienígenas na sala de aula. 9ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. pp. 155-172.

SAVIANI, Demerval. Escola e Democracia. Edição Comemorativa. Campinas: Autores Associados, 2008. 112p.

TARDIF, Maurice. “Os professores enquanto sujeitos do conhecimento” In: Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2008, pp. 227-244.

VASCONCELLOS, C.S. Para onde vai o professor?: Resgate do professor como sujeito de transformações. São Paulo: Libertad, 2001.

 

Copyright © [ AzN ] - Todos os direitos reservados.